História

Mais de cem anos de História, uma porta aberta para o futuro


O Colégio de Ermesinde nasceu a 28 de dezembro de 1912, por despacho do Presidente da República Manuel de Arriaga. Com mais de cem anos de história, sucede a instituições educativas que se instalaram num espaço cujas origens remontam ao século XVIII – Congregação dos Eremitas Descalços de Santo Agostinho, Colégio da Formiga e Colégio do Espírito Santo.

Num período de grandes tumultos contra a Igreja e o clero, os padres Manuel da Silva Pontes e António Luís Moreira arrendam as instalações do antigo convento a José Joaquim Ribeiro Teles, para nele se criar um instituto particular de ensino secundário em Ermesinde.

Nos seus primeiros anos, para além dos fundadores, destaca-se a ação educativa de António de Castro Meireles, sacerdote e advogado, que foi diretor do Colégio até 1920 (e que, mais tarde, seria nomeado Bispo do Porto). José Joaquim Ribeiro Teles deixa, por testamento de 1932, a propriedade do “convento da Formiga” a D. António Castro Meireles, bispo do Porto. Em 1941 os bens passam para o Seminário Maior de Nossa Senhora da Conceição do Porto, cumprindo-se a vontade do antigo proprietário. Mais tarde, com a compra do Alvará do Colégio de Ermesinde (1948), este passa a ser propriedade integral da Diocese do Porto, algo que se mantém até hoje.

Na década de 1950, o aumento do número de alunos e as alterações no sistema de ensino levam à necessidade de novos espaços, construindo-se um novo edifício no seguimento do corpo principal herdado do antigo convento.

Após a revolução de 25 de abril de 1974, o Colégio deixou de ser exclusivamente masculino, abrindo uma nova página na história da instituição.

A primeira década do século XXI é marcada pela melhoria significativa das instalações desportivas, com a construção do pavilhão gimnodesportivo, inaugurado em 2002, e de um campo de futebol com relvado sintético e dimensões oficiais, ao serviço do Colégio desde 2008.

No ano de 2012 a comemoração do centenário do Colégio de Ermesinde não foi esquecida. Para além das melhorias materiais em alguns dos espaços físicos – recreio, laboratórios e criação de um auditório – este ano ficou marcado com o regresso do ensino secundário. Assim, desde 2012 que se escreve um novo capítulo na história do Colégio de Ermesinde.